Empreendedorismo no RS

O estudo apresenta, pela primeira vez, o panorama do empreendedorismo no RS e
tem como objetivo medir as taxas de empreendedorismo; descobrir as motivações para empreender;
traçar o perfil dos empreendedores gaúchos; identificar as atividades econômicas; formalização
e grau de inovação. Com uma amostra de 2.000 entrevistados, a pesquisa também apresenta a
opinião de especialistas sobre a realidade e as condições existentes para o desenvolvimento de
novos negócios.

Assunto disponibilizado pela Gestão Estratégica do Sebrae/RS


Índice

Qual é o nº de empreendedores no Rio Grande do Sul?
Qual é a motivação para empreender no estado?
Qual é a distribuição do emprego nos pequenos negócios por setor?
Referências


Qual é o nº de empreendedores no Rio Grande do Sul/><Índice

De acordo com a edição estadual da Pesquisa GEM – Global Entrepreneurship Monitor, realizada pelo SEBRAE/RS em parceria com o Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade (IBQP), o Rio Grande do Sul tem 1,9 milhão de empreendedores entre 18 e 64 anos. Em 2016, os empreendedores gaúchos correspondiam a 26% da população desta faixa etátia. Esta proporção, chamada de Taxa de Empreendedorismo Total (TTE), é significativamente inferior à do Brasil (36,0%). A reduzida taxa empreendedorismo total no estado decorreu principalmente da sua taxa de empreendedorismo inicial (12,4%), bem inferior à verificada no Brasil (19,6%). A taxa de empreendedores estabelecidos no estado (13,7%), embora também inferior à do Brasil (16,9%), apresentou uma diferença menor.

Qual é a motivação para empreender no estado?Índice

A motivação dos empreendedores iniciais pode ser a necessidade ou a oportunidade. Os empreendedores por necessidade decidem empreender por não possuírem melhores alternativas de emprego, abrindo um negócio com a finalidade de gerar rendimentos visando basicamente a sua subsistência e de suas famílias. Os empreendedores por oportunidade identificam uma chance de negócio ou um nicho de mercado e decidem empreender mesmo possuindo alternativas correntes de emprego e renda. A Taxa de Empreendedores Iniciais se decompõe em duas taxas: a Taxa de Empreendedorismo por Necessidade e por Oportunidade.

Referências:

[1]

Pesquisa GEM -Empreendedorismo no Rio Grande do Sul. IBQP-SEBRAE 2016.