Indústria de Base Tecnológica

A Indústria de Base Tecnológica (IBT) é um grupo com interfaces em quase todos os setores e segmentos econômicos. Desde maquinário e equipamentos; eletroeletrônicos e automação; automotores e movimentação de carga; a químicos e saneantes. É uma indústria que tem no seu DNA o requisito de inovar para nascer, sobreviver, escalar e competir.

Conteúdo de Responsabilidade da Unidade de Competitividade



Índice

Perfil da Indústria de Base Tecnológica
Quem e quantos são os pequenos negócios da Indústria de Base Tecnológica?
Quais são os principais números da Indústria de Base Tecnológica?

O conceito de Base Tecnológica
Qual o conceito de Base Tecnológica?
Como o Sebrae identificou a Indústria de Base Tecnológica?

A importância da Indústria Química e os pequenos negócios
Qual o ambiente de negócios da Indústria Química?
A Indústria Química é prioridade para o Sebrae?

 

Quem e quantos são os pequenos negócios da Indústria de Base Tecnológica?

A maioria dos pequenos negócios da Indústria de Base Tecnológica são Microempresas (ME) representando 28 mil empresas ou 60% do total, seguido por Empresas de Pequeno Porte (EPP) que representam 26% do universo com 12 mil empresas e, finalmente, os Microempreendedores Individuais (MEI) com 14% e 7 mil empresas. [1]

O Sebrae se relacionou, nos últimos 5 anos, com 62% do universo de pequenos negócios, o que significa dizer que das 46.153 empresas, atendeu 28.663. Foram empresas localizadas em todo o país, em 3.075 dos 5.570 municípios. Entre orientação empresarial, consultoria, palestras, cursos, oficinas, seminários, rodadas, missões, caravanas, feiras, operações de aval de crédito, clínicas tecnológicas, realizou 174.156 atendimentos. [1]

 

Quais são os principais números da Indústria de Base Tecnológica?

Acesse para conferir o Panorama da Indústria de Base Tecnológica, uma representação visual e interativa da visão quantitativa sobre a presença dessas indústrias no país e a atuação do Sebrae com esse grupo.

Observação: a diferença na quantidade de CNAE entre a página 1 e a 2 do panorama disponibilizado no link acima justifica-se pela descontinuidade ou reclassificação de algumas atividades econômicas ao longo dos últimos 5 anos.

Qual o conceito de Base Tecnológica?

O SEBRAE conceituou as empresas de base tecnológica como empresas que baseiam suas atividades no uso intensivo de conhecimento científico ou tecnológico.[2] . No link fonte desse texto é possível conhecer um pouco do ecossistema de inovação no qual as empresas de base tecnológica convive.

Quando consideramos o elo “indústria” no contexto de base tecnológica, estamos falando de várias possíveis etapas da cadeia de valor, desde o início da Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação à produção em escala.

Segundo o site Mundo Educação: Após as Revoluções Industriais, que inseriram novas tecnologias nos modos de produção, a atividade industrial pôde ser classificada conforme três vertentes de acordo com seu aparato tecnológico: 1) indústrias tradicionais; 2) indústrias modernas; 3) indústrias de tecnologia de ponta.[3]

Atento aos novos tempos, o SEBRAE observou os atendimentos realizados às indústrias dos pequenos negócios brasileiros nos últimos 5 anos (2015 a 2020) e identificou características comuns para traçar estratégias de Relacionamento com esse grupo de indústrias de base tecnológica.[1]

 

Como o Sebrae identificou a Indústria de Base Tecnológica?

O Sebrae já atuou com agrupamentos relacionados ao que hoje considera Indústria de Base Tecnológica, algumas iniciativas mais expressivas ao longo do trabalho do Sebrae se dedicava à grupos nomeados como “metalmecânico”, por exemplo.

A maneira de identificar esses grupos migrou para expressão “Indústria de Base Tecnológica”.
Isso se deu em razão dos avanços no context do ambiente de negócios do qual o Sebrae é um dos atores.

Para indústria, ficou cada vez mais evidente que não basta reproduzir em escala, gerar valor
requer passar por etapas intensivas de pesquisa, desenvolvimento e inovação, o que conectaessas empresas ao dinâmico ecossistema de inovação. Além disso, o recorte para IBT se baseou nas seguintes características levantadas na base de Atendimento Sebrae:

  •  Um grupo multissetorial, com características em comum: a produção para outras indústrias (máquina ou matéria-prima) e ou o fornecimento de produtos ou serviços
    fruto da revolução tecno-científico-informacional;
  •  As atividades se concentram nas regiões Sudeste e Sul, contudo, são observadas em todo o território nacional;
  • Buscaram no SEBRAE, 2015 – 2020, instrumentos de atendimento como orientação empresarial e consultoria, ou seja, informações de consumo imediato e atendimento
    com intervenção de consultores na empresa;
  • A maturidade da tecnologia do que produzem é classificada conforme a prontidão tecnológica, o SEBRAE se apoia na escala TRL (Technology readiness levels)[4];
  • É possível agrupar as empresas em atendidas pelo SEBRAE, em 4 segmentos mais representativos: Máquinas e Equipamentos; Químicos, plásticos e saneantes; Eletroeletrônicos e Automação; Automotores (carrocerias, trailers, etc.) e movimentação de carga. Existe ainda uma porção menor de equipamentos de saúde e outros.

Qual o ambiente de negócios da Indústria Química ?

Em termos de relevância para o ambiente de negócios, a Indústria Química Brasileira é a sexta maior do mundo, fornece para quase todas as outras indústrias, como petroquímicos, agroquímicos, produtos farmacêuticos, polímeros, tintas, etc.

A indústria petroquímica é parte da indústria química, mas a ABIQUIM (Associação Brasileira da Indústria Química)  esclarece em seu site que não utilizam em separado o conceito “petroquímica”. Para o Sebrae essa é uma informação relevante para conectar estratégias com o segmento de energia, especialmente o óleo e gás natural. [1]

Segundo a ABIQUIM, em todo o mundo, os químicos estão presentes em 96% dos produtos manufaturados incluindo itens essenciais no combate à Covid-19, como desinfetantes, policarbonatos e polipropilenos usados para a produção de máscaras e protetores faciais, produtos de higiene pessoal, na produção de alimentos, medicamentos, entre outros. [5]

 

A Indústria Química é prioridade para o Sebrae?

A indústria química está compreendida nas prioridades do SEBRAE como um conjunto de atividades econômicas da Indústria de Base Tecnológica & Energia, representando nos últimos 5 anos mais de 23 mil atendimentos a 4 mil pequenos negócios em todas as regiões do país.[1]

Destacamos dentre as atividades da indústria química, a relevância de pequenos negócios na indústria de saneantes e domissanitários (saneantes de uso doméstico), que daquele número, foram, sozinhos, responsáveis por 19 mil atendimentos e 3 mil pequenos negócios. [1]

As atividades econômicas selecionadas pelo Sebrae são:
20.6.22.00 – Fabricação de produtos de limpeza e polimento
20.6.14.00 – Fabricação de sabões e detergentes sintéticos
20.7.11.00 – Fabricação de tintas, vernizes, esmaltes e lacas
20.9.91.99 – Fabricação de outros produtos químicos não especificados anteriormente
20.5.25.00 – Fabricação de desinfestantes domissanitários
20.9.32.00 – Fabricação de aditivos de uso industrial
20.9.16.00 – Fabricação de adesivos e selantes
20.2.91.00 – Fabricação de produtos químicos orgânicos não especificados anteriormente
20.7.38.00 – Fabricação de impermeabilizantes, solventes e produtos afins
20.1.93.99 – Fabricação de outros produtos químicos inorgânicos não especificados
anteriormente
20.2.23.00 – Fabricação de intermediários para plastificantes, resinas e fibras
20.1.18.00 – Fabricação de cloro e álcalis
20.9.24.03 – Fabricação de fósforos de segurança

Referências

[1] Panorama da Indústria de Base Tecnológica, disponível em https://datasebrae.com.br/panorama-da-industria-de-base-tecnologica/

[2] A importância da inovação em empresas de Base Tecnológica,disponível em: http://sebraemgcomvoce.com.br/a-importancia-da-inovacao-em-empresas-de-base-tecnologica/

[3]Tipos de Indústrias conforme o Nível Tecnológico ,disponível em: https://mundoeducacao.uol.com.br/geografia/tipos-industrias-conforme-nivel-tecnologico.htm

[4]Technology Readinesse Level, disponível em: https://en.wikipedia.org/wiki/Technology_readiness_level

[5] ABIQUIM (Associação Brasileira da
Indústria Química) https://abiquim.org.br/abiquim