Perfil dos empreendedores

Estima-se que o Brasil tenha cerca de 24,9 milhões de empreendedores. Eles se dividem em empresários, potenciais empresários e produtores rurais, e respondem por parte considerável do Produto Interno Bruto brasileiro. Suas principais características são o tema dos tópicos deste assunto.

Assunto disponibilizado pela Unidade de Gestão Estratégica do Sebrae Nacional


Índice

Perfil demográfico dos empreendedores no Brasil
Qual é o número de Empreendedores?
Qual é a renda média dos empreendedores?
Qual é a proporção de mulheres entre os empreendedores?
Qual é a posição no domicílio dos empreendedores?
Qual é a idade média dos empreendedores?
Qual é o nível médio de escolaridade dos empreendedores?
Qual é a raça predominante dos empreendedores?

Distribuição espacial dos empreendedores
Onde estão os empreendedores?
Onde estão os empresários formais?

Onde estão os potenciais empresários?
Onde estão os produtores rurais?

Rotina empreendedora
Os empreendedores trabalham sozinhos ou com empregados?
Com que idade os empreendedores começaram a trabalhar?
Quantas horas os empreendedores trabalham por semana?

Uso da tecnologia pelos empreendedores
Quais são os recursos de telefonia usados pelos empreendedores?
Quais são os recursos de computação usados pelos empreendedores?

Mentalidade empreendedora
Quais são os principais sonhos do brasileiro?
O medo de fracassar impediria a abertura do negócio?
Os brasileiros acreditam que estão prontos para abrir um negócio?
Os brasileiros percebem oportunidades para abrir um negócio?

Benefícios e obstáculos ao empreendedorismo
O que ajuda e o que atrapalha o empreendedor no Brasil?

Referências


Qual é o número de Empreendedores?

De acordo com o IBGE, entre 2001 e 2014, o número de empreendedores no país cresceu 22%, passando de 20,4 milhões para 24,9 milhões de pessoas. Levando-se em consideração as três categorias de clientes do Sebrae, os 24,9 milhões de empreendedores podem ser divididos em: 13,7 milhões de potenciais empresários com negócios (55%); 6,7 milhões de empresários (27%) e 4,5 milhões de produtores rurais (18%).

Qual é a renda média dos empreendedores?

O rendimento médio mensal dos empreendedores é de R$ 2.036,00. Quando consideradas as faixas de rendimento em salários mínimos (SM), observa-se que 35% recebem até 1 SM, 24% mais de 1 a 2 SM, 17% mais de 2 a 3 SM, 11% mais de 3 a 5 SM e somente 13% recebem mais de 5 SM.

A parcela de empreendedores que tem um rendimento médio mensal relativamente baixo é considerável. Ela pode estar representada por aqueles que não são formalizados (sem CNPJ) e atuam em atividades mais simples ou precárias no mercado de trabalho. Como exemplo, tem-se a atividade exercida por vendedores ambulantes, que não tem registro formal e exige menor grau de escolaridade. Além disso, vale destacar a presença dos produtores rurais, que, em grande parte, trabalham sozinhos e em propriedades rurais relativamente pequenas, próximos dos níveis de subsistência.

Qual é a proporção de mulheres entre os empreendedores?

De acordo com o gráfico abaixo, observa-se que a participação das mulheres no total de empreendedores no país é de 32%. Em 2001, a participação feminina era de 29%. Isso significa que nos últimos 13 anos, o número de mulheres empreendedoras foi expandido em 2 milhões de pessoas.

Segundo Gomes (2004), o crescimento da presença no mercado das mulheres na esfera econômica demonstra um movimento diverso daquele tradicionalmente verificado na sociedade até então. Não se trata apenas de episódios de ingresso no mercado de trabalho para complementar a renda familiar, embora essa motivação também esteja presente, especialmente quando se consideram as sucessivas crises da economia brasileira e as altas taxas de emprego. Trata-se de uma mudança social de grandes proporções, pois envolve transformações nas expectativas de vida profissional, pessoas e nas relações familiares.

Qual é a posição no domicílio dos empreendedores?

A maioria dos empreendedores brasileiros tem a responsabilidade de chefiar uma unidade familiar. É o que mostra os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), realizada pelo IBGE. Em 2014, dos 24,9 milhões de empreendedores, 61% eram chefes de domicílio, 24% eram cônjuges e 11% eram filhos.

Qual é a idade média dos empreendedores?

A idade média do empreendedor brasileiro é de 44,7 anos. O gráfico abaixo evidencia que o grupo dos empreendedores é formado principalmente por indivíduos que tem entre 35 e 44 anos (25%) e 45 e 54 anos (25%). Logo depois estão os que tem entre 25 e 34 anos (19%). Os mais jovens, que tem entre 18 e 24 anos, representam apenas 5% do total.

A tendência de envelhecimento da população pode ser uma das causas da maior presença de pessoas mais maduras entre os empreendedores.

Qual é o nível médio de escolaridade dos empreendedores?

Em média, em 2014, os empreendedores tinham 7,9 anos de estudo. Quando consideradas as faixas de escolaridade, observa-se que em torno de 1/3 do total possuía apenas ensino fundamental incompleto. Por outro lado, 46% já possuíam grau maior de escolaridade, sendo que 30% tinham ensino médio completo ou incompleto e 16% ensino superior incompleto ou mais.

Quanto maior a escolaridade dos empreendedores, maior é a chance de sobrevivência dos negócios. Os empreendedores de alta escolaridade tendem a iniciar sua empresa mais por oportunidade do que por necessidade, tendem a planejar mais e melhor o seu negócio e conhecem melhor os instrumentos de gestão.

 

Qual é a raça predominante dos empreendedores?

 Em 2014, dos 24,9 milhões de empreendedores existentes no país, 51% (12,8 milhões) se declararam negros e 48% se declararam brancos. O 1% restante representa a categoria “Outros”, que inclui predominantemente os amarelos, os indígenas e os que não declararam sua raça/cor.

Entre 2001 e 2014, a participação relativa dos empreendedores negros cresceu 8%. Esse fenômeno é consistente com o observado na população brasileira de modo geral. Segundo estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), elaborado com base nos últimos dois Censos Demográficos (2000 e 2010), na última década, houve expansão expressiva do número de pessoas que se autodeclaravam negras. Os dados indicam que a população negra chegou a superar a branca em termos absolutos, a partir de 2012. Contribui, para isso, principalmente, o maior número de pessoas que passou a preferir se declarar como negros. A mudança no padrão de resposta seria resultante de recentes transformações de cunho social, cultural e político que afetaram o comportamento e a percepção dos entrevistados (UFRJ, 2013).

Onde estão os empreendedores?

O estado de São Paulo é lar de grande parte dos empreendedores brasileiros. De acordo com a pesquisa “Os Donos de Negócio no Brasil”, o estado conta com 4,9 milhões. Ela também identifica Rio de Janeiro, Minas Gerais, Bahia e Rio Grande do Sul como protagonistas em relação ao número de pessoas com um empreendimento.

Onde estão os empresários?

Define-se como “empresários” aqueles que possuem uma empresa formalizada com CNPJ. O Sudeste, região mais populosa do País, concentra a maior parte deles. Do total de Empresários existentes no Brasil, 51% estão no Sudeste; 21% no Sul; 15% no Nordeste; 9% no Centro-Oeste; e 5% no Norte. As proporções mais elevadas de empresários no Sudeste e Sul ─ regiões que concentram 72% dos Empresários ─ estão associadas ao fato de elas deterem a maioria dos empreendimentos com CNPJ do País. Juntas, as regiões Sudeste e Sul detêm 75% das empresas [1].

Onde estão os potenciais empresários?

Define-se como “Potenciais empresários” aqueles que apesar de possuírem uma empresa, ela não é formalizada com CNPJ. Os estados com maior concentração de Potenciais Empresários com negócios no país são: São Paulo (SP), Minas Gerais (MG) e Rio de Janeiro. A forte concentração de Potenciais Empresários em SP, MG e RJ está diretamente relacionada à densidade demográfica. Esses estados detêm as três principais cidades (São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte) e as principais regiões metropolitanas (RMSP, RMBH e RMRJ), em termos de densidade demográfica, o que denota ser a informalidade um fenômeno forte nas metrópoles.

Onde estão os produtores rurais

Define-se como “Produtores rurais” aqueles que atuam na agropecuária ou na pesca independentemente de ter CNPJ. Isto, porque, o exercício desta atividade não exige o CPNJ. 44% deles estão na região Nordeste; 19% no Sul; 18% no Sudeste; 14% no Norte; e 5% no Centro-Oeste. A maior concentração de Produtores Rurais no Nordeste parece estar associada à estrutura fundiária, mais extensa e fragmentada. Em parte, isto pode ser caracterizado pelo elevado número de municípios rurais da região, em especial no interior. O Nordeste é a região com o maior número de municípios, detendo 32% dos quase 5.600 municípios existentes no Brasil.
Dos dez estados com maior número de Produtores Rurais, fazem parte cinco estados do Nordeste (Bahia, Maranhão, Ceará, Pernambuco e Piauí), três do Sul (Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina), um do Norte (Pará) e um do Sudeste (Minas Gerais). Com exceção do Pará, todos possuem elevado número de municípios no interior.

Os empreendedores trabalham sozinhos ou com empregados?

Dos 24,9 milhões de empreendedores, 85% são conta-própria e apenas 3,6 milhões (15%) são empregadores, conforme mostra o gráfico abaixo.

A elevada quantidade de empreendedores que trabalham sozinhos pode ter como principal causa, o alto custo da contratação de funcionários. Para superar essa dificuldade, eles acabam se dividindo entre as diversas tarefas de uma empresa, tal como o planejamento, a gestão e o atendimento ao cliente, o que pode comprometer o sucesso do negócio.

Com que idade os empreendedores começaram a trabalhar?

Em geral, os empreendedores começam a trabalhar cedo. Segundo dados da PNAD (2014), realizada pelo IBGE, a média de idade é de 13,9 anos. Considerando-se as faixas etárias, 81% dos empreendedores começaram a trabalhar até os 17 anos, 17% entre 18 e 24 anos e apenas 2% com 25 anos ou mais.

Quantas horas os empreendedores trabalham por semana?

Em média, em 2014, os empreendedores trabalharam 39,6 horas por semana. Na análise da carga de trabalho semanal por faixas de horas, observa-se que 34% deles trabalharam de 40 a 44 horas semanais, 26% de 15 a 39 horas e 21% trabalharam 49 horas ou mais. Esses dados mostram que muitos os empreendedores tem trabalhado mais de 40 horas semanais.

Quais são os recursos de telefonia usados pelos empreendedores?

O principal instrumento de comunicação dos empreendedores é o telefone celular. É o que mostra os dados da PNAD (2014). Dos 24,9 milhões de empreendedores existentes no país, 94% tem celular no domicílio e 84% tem celular pessoal. Em contrapartida, apenas 39% tem telefone fixo. Com isso, é possível destacar que os empreendedores adotaram o celular como uma ferramenta de trabalho, pois ele facilita consideravelmente as atividades corporativas, na medida em que acelera a divulgação de informações e a tomada de decisão.

Quais são os recursos de computação usados pelos empreendedores?

A presença de recursos de computação não é unanimidade entre os empreendedores brasileiros. Pouco mais de 46% deles não possui computador, enquanto somente 49% deles utilizou a internet nos últimos 3 meses.

Quais são os principais sonhos do brasileiro?

Montar o próprio negócio é o quarto sonho mais recorrente entre os brasileiros, 34,5% deles pretendem empreender. A iniciativa perde para os planos de viajar pelo Brasil, comprar a casa própria e comprar um automóvel. Por outro lado, o objetivo de seguir carreira em uma empresa é menos comum: apenas 22,7% dos brasileiros declaram essa ambição.

sonhos

O medo de fracassar impediria a abertura do negócio?

Nem sempre o potencial empreendedor resulta na criação de novos negócios, pois os indivíduos precisam de condições específicas para empreender . Fatores como o status perante a sociedade, a imagem utilizada pela mídia e o medo de fracassar podem realmente restringir o potencial empreendedor.

A Tabela abaixo indica que, em 2015, para 50,5% dos brasileiros o medo de fracassar não impediria de que começassem um novo negócio, percentual significativamente menor do que o em 2014 (60,9%), e o menor percentual entre os países selecionados. Isto evidencia um brasileiro mais receoso em se envolver com a criação e desenvolvimento de um novo negócio.

Pouco mais da metade dos brasileiros não se deixaria intimidar pelo risco de fracassar nos negócios, ou seja, abririam uma empresa apesar do receio. Esse número ainda é baixo quando comparado a outras nações. Na Índia esse número é de 69,2% e nos Estados Unidos 68,5%.

medo de fracassar

Os brasileiros acreditam que estão prontos para abrir um negócio?

A aptidão para empreender, ou seja, o percentual da população adulta brasileira que se julga com o conhecimento, a habilidade e a experiência necessárias para iniciar um novo negócio, alcançou 58,3% , foi superior ao observado em 2014 (50%) e o maior entre os países selecionados para comparação. Este dado reforça as conclusões com relação à busca por órgão de apoio, ou seja, o elevado percentual de empreendedores, que, confiantes no seu próprio potencial, afirmam não necessitar e não ter interesse em procurar esses órgãos. Neste quesito, apenas os Estados Unidos (55,7%) possuem percentuais similares aos do Brasil.

estão prontos para abrir um negócio

Os brasileiros percebem oportunidades para abrir um negócio?

O percentual da população adulta que afirma perceber boas oportunidades para começar um novo negócio na região onde vive diminuiu de 55,5% em 2014 para 42,4% em 2015, o que reflete, de forma significativa, a retração da economia brasileira no período, quando a taxa de crescimento do PIB foi negativa (-3,8%). Dentre os países selecionados para análise, os Estados Unidos (46,6%) e o México (44,7%) apresentam os maiores percentuais e a China, o menor (31,7%). Na África do Sul (40,9%), Alemanha (38,3%) e Índia (37,8%) os percentuais são similares ao do Brasil.

percebem oportunidades

O que ajuda e o que atrapalha o empreendedor no Brasil?

Entre os fatores que contribuem com o empreendedorismo brasileiro se destaca o acesso a informação, e a percepção do povo sobre a sua própria capacidade empreendedora. Ambos os benefícios são mais citados no Brasil do que em países como China, Alemanha ou Estados Unidos. Por outro lado, as políticas governamentais e a falta de educação e capacitação são apontados como grandes dificuldades dos empreendedores no Brasil.

Fatores que ajudam o empreendedorismo no Brasil
ajuda empreendedorismo

Fatores que dificultam o empreendedorismo no Brasil
atrapalham o empreendedorismo

 

Referências

[1] Pesquisa GEM, Sebrae e IBQP, 2015.
[2] Pesquisa Donos de Negócio Brasileiros, Sebrae, 2016.
[3] O Público do Sebrae, Sebrae, 2016.