Inflação

A inflação é o tema da economia que abrange indicadores da variação do poder de compra do consumidor, dos empresários e do governo. Monitorar sua dinâmica é importante para orientar decisões coerentes com as necessidades de cada negócio. Por esse motivo, neste assunto serão apresentados os resultados do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo – IPCA, índice oficial do Governo Federal para medição das metas de inflação do país.

 

Assunto disponibilizado pela Unidade de Gestão Estratégica do Sebrae Nacional


Índice

Como tem evoluído a inflação no mundo?
Como tem evoluído a inflação mensal brasileira?
Como tem evoluído a inflação acumulada em 12 meses?
Qual é a taxa de inflação por grupos de produtos e serviços?
Qual é o peso de cada grupo de produtos e serviços na composição do IPCA?
Quais são as regiões metropolitanas mais atingidas pela inflação?

 

Referências


Como tem evoluído a inflação no mundo?

Com a crise financeira global de 2008, houve uma redução significativa da inflação em muitos paises, seguida por rápida recuperação.
No entanto, a partir de 2011, observa-se um movimento de desaceleração da inflação em economias de mercado avançadas e emergentes, que pode ser explicado em grande parte pela lenta retomada da economia e redução do preço das commodities.[1]


Fonte: OECD (2017), Inflation (CPI) (indicator). doi: 10.1787/eee82e6e-en (Accessed on 29 June 2017)

Como tem evoluído a inflação mensal brasileira?

Tendo como base abril de 2017, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo – IPCA apresentou variação de 0,14%, inferior aos 0,25% de março.[2]

O IPCA mede a inflação para as famílias com rendimentos mensais entre 1 e 40 salários mínimos, que vivem nas regiões metropolitanas de São Paulo, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Curitiba, Recife, Salvador, Fortaleza, Vitória, Belém, Brasília, e nos municípios de Goiânia e Campo Grande.

Como tem evoluído a inflação acumulada em 12 meses?

Nos últimos 12 meses (até abril/17), o IPCA acumulou alta de 4,08%, a menor taxa observada em 10 anos.[1]
Com a desaceleração dos preços observada nos últimos meses, as expectativas para a redução da inflação têm se elevado. As estimativas do mercado apontam recuo do índice, que deve fechar 2017 em 3,92%, abaixo do centro da meta perseguida pelo Banco Central (4,5%). Para 2018, a estimativa é de que o IPCA encerre o ano em 4,34%.

Qual é a taxa de inflação por grupos de produtos e serviços

Em abril, o IPCA apresentou variação de 0,14% e ficou abaixo dos 0,25% de março.

As maiores taxas de inflação observadas no mês foram nos grupos Saúde e cuidados pessoais (1,00%) e Alimentação e bebidas (0,58%). No sentido oposto, o grupo Habitação apresentou a maior queda do IPCA no mês (-1,09%) e o grupo Artigos de residência recuou 0,28.

Qual é o peso de cada grupo de produtos e serviços na composição do IPCA?

Em abril, o grupo Alimentos e Bebidas representou 25,6% da composição do IPCA. Em seguida, aparece Transportes com peso de 17,9% e Habitação com 15,3%.

Quais são as regiões metropolitanas mais atingidas pela inflação?

No recorte por região metropolitana, Fortaleza registrou, em abril, o maior índice acumulado nos últimos 12 meses (5,9%), seguido por Recife (5,4%)[2]. Os menores índices foram observados nas regiões metropolitanas de Curitiba (2,5%) e Porto Alegre (3,5%).

Referências

[1] OECD Data.
[2] Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE.