Como está a inflação no Setor de Serviços?

O Índice de Preços ao Consumidor Amplo é um índice produzido mensalmente pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística com o objetivo de medir a inflação sob a ótica de consumo pessoal. Ele é um dos índices calculados a partir do Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor – SNIPC . 

Os resultados mensais do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA)[1] resultam da comparação do nível de preços nos 30 (trinta) dias do período de referência com o dos 30 (trinta) dias do período base. Isto é, compara-se um mês ao outro considerando todos os trinta dias de cada um. Já a inflação de Serviços é calculada mensalmente pelo Banco Central [2] considerando os preços de serviços que fazem parte da cesta de consumo do IPCA. Desse modo, seu resultado considera a mesma periodicidade e mesma população objetivo do IPCA.

Assunto disponibilizado pela Unidade de Atendimento Setorial – Comércio e Serviços


Índice

Inflação em Geral (IPCA)
Inflação de Serviços
Preços de Serviços
Preços de Comércio
Referências


Inflação em Geral (IPCA)

O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) apresentou variação de 0,16% em setembro de 2017. Ele foi divulgado no dia 06/10 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Com isso, o acumulado nos últimos 12 meses para o IPCA ficou em 2,54%, ainda abaixo da meta de inflação.

Pode-se destacar a quinta variação negativa do grupo Alimentação e Bebidas (-0,41%). Em especial, os alimentos para consumo doméstico – tomate, feijão-carioca, leite longa vida, dentre outros – tiveram queda de 0,74%.

Por outro lado, o grupo Transportes teve alta de 0,79% devido ao aumento nos preços de combustíveis (1,91%) pelo segundo mês consecutivo. O impacto no IPCA provocado pelo grupo de Alimentação e Bebidas (-0,10 pontos percentuais) foi superado pelo impacto do grupo Transportes (0,14 p.p.).

 

Inflação de Serviços

A inflação de Serviços apresentou variação de 0,5% no mesmo período, após variar 0,01% no mês anterior. Ela é calculada pelo Banco Central a partir do IPCA. A queda de 15,16% no preço de Passagens Aéreas em agosto e o aumento de 21,9% em setembro influenciou esta diferença na inflação de serviços de um mês para o outro.

A taxa acumulada nos últimos 12 meses ficou em 2,54% para o IPCA e 4,98 % para Serviços.

Preços de Serviços

Os itens de Serviços com maiores altas foram: Passagem aérea (21,9%), Seguro voluntário de veículo (1,99%) e Fotocópia (1,91%). Já os com maiores quedas foram Mudança (-2,09%), Pintura de veículo (-1,23%) e Psicólogo (-0,65%).

Preços de Comércio

Os itens de Comércio com maiores altas foram: Motocicleta (1,91%), Material de eletricidade (1,86%) e Frutas (1,74%). Já os itens com maiores quedas foram: Tubérculos raízes e legumes (-8,16%), Hortaliças e verduras (-3,44%) e Açúcares e derivados (-1,88%). Estes três últimos itens também foram os de maior queda no mês passado.

Referências

[1] Para acessar o relatório metodológico sobre a Estrutura de Ponderação do SNIPC, clique aqui

[2] Para acessar o relatório de inflação de dezembro de 2013 do Banco Central, com comentário sobre a inflação de Serviços na página 29, clique aqui.