.

IG – Sul da Bahia

Reconhecidas no mundo pela qualidade, as amêndoas de cacau do Sul da Bahia também se traduzem em sustentabilidade por contribuir na preservação da Mata Atlântica e na manutenção da tradição cacaueira, além de gerar renda para os produtores da região.

Este assunto é de responsabilidade da Unidade de Inovação. 9 de Agosto de 2018


1 / 6

2 / 6

3 / 6

4 / 6

5 / 6

6 / 6


Cacau da Indicação Geográfica.
 Cacaueiro.
 Embalagem do produto.
Cacauicultor.
Carregamento de cacau.
 Marca visual.

Sobre a Indicação Geográfica


Originário das zonas equatoriais das Américas, sendo cultivado por maias e astecas, o cacau se espalhou da cabeceira do rio Amazonas em duas direções: América do Sul e América Central. As primeiras variedades de cacaueiro cultivadas na Bahia foram o Comum, o Maranhão e o Pará. A Comum foi introduzida no Estado em 1746 por Luiz Frederico Warneau, tendo se propagado pelos vales dos rios Jequitinhonha e Pardo.

Já a variedade Maranhão foi introduzida na Bahia em 1874 por Frederico Steiger no município de Ilhéus. Por fim, a Pará era aquela com maior relevância, uma vez que representava cerca de 75% dos cacaueiros baianos. Por muito tempo, o cacau significou prosperidade para os produtores e para a região.

O cacau é uma planta frágil e suscetível a doenças. A partir do final da década de 1980, a região entrou em crise devido à doença conhecida como vassoura-de-bruxa, que dizimou a plantação de cacau na região. Após intenso trabalho dos produtores e entidades de apoio, o Sul da Bahia ressurge e se consolida mais uma vez como um centro produtor de amêndoas de cacau de qualidade.


O cacaueiro é uma espécie arbórea que cresce em clima tropical úmido, em latitudes de até 20 graus de distância em relação à linha do Equador. A produção do cacau requer umidade, calor e sombra.

A região é caracterizada pela Mata Atlântica. Para preservação dessa vegetação, foi desenvolvido um modelo de produção orgânico, conhecido como cabruca, no qual os cacaueiros crescem às sombras das árvores da Mata Atlântica.


Podem utilizar o selo da Indicação Geográfica Sul da Bahia todas as amêndoas de cacau da espécie Theobroma cacao L., com exceção das variedades transgênicas. Já os sistemas de produção utilizados deverão ser baseados em sistemas agroflorestais do tipo: Cacau – Cabruca; Cacau com Erytrina; Cacau com Seringueira; dentre outros, desde que o cacau seja a cultura principal.

A qualidade das amêndoas de cacau compreende as seguintes características: índice de fermentação mínimo de 65%, aroma natural livre de odores estranhos e teor de umidade inferior a 8%.


A cultura cacaueira ressurge na Bahia com a produção de cacau fino, amparados por uma longa tradição familiar vinculada ao cacau e um investimento em novas técnicas e manejo sustentável. A região se posiciona como um dos principais centros no mundo de produção de cacau de qualidade.



Associação dos Produtores de Cacau do Sul da Bahia
Endereço: Praça do Cadete, 06 – São Sebastião | Cidade: Ilhéus/BA | CEP: 45.659-080
Telefone: +55 (73) 9 9938-1390 | E-mail: cristiano@cacausulbahia.org


Dados Técnicos

Número: BR402014000011-5
Indicação Geográfica: Sul da Bahia
UF: Bahia
Requerente: Associação dos Produtores de Cacau do Sul da Bahia
Produto: Amêndoas de cacau
Data do Registro: 24/04/2018
Delimitação: Situada entre os paralelos 13o03’ e 18o21’ sul e os meridianos 38o51’ e 40o49’ a oeste de Greenwich, fazendo parte da área geográfica da Indicação de Procedência Sul da Bahia os seguintes municípios: Aiquara. Alcobaça, Almadina, Apuarema, Arataca. Aurelino Leal, Barra do Rocha, Barro Preto, Belmonte, Boa Nova, Buerarema, Caatiba, Camacan, Camamú, Canavieiras, Coaraci, Cravolândia, Dário Meira, Eunápolis, Firmino Alves, Floresta Azul, Gandú, Gongogi, Guaratinga, Ibicaraí, Ibicuí, Ibirapitanga, Ibirataia, Igrapiúna, Iguaí, Ilhéus, Ipiaú. Itabela, Itabuna, Itacaré, Itagi, Itagibá, Itagimirim, Itaju do Colónia, Itajuípe, Itamaraju, ltamari, Itambé, Itanhém, Itapé, Itapebi, Itapitanga, Itororó, Ituberá, Jaguaquara, lequié, Jiquiriçá, Jitaúna, Jucuruçu, Jussari, Laje, Maraú, Mascote, Mucuri, Mutuípe, Nilo Peçanha, Nova Canaã, Nova Ibiá, Nova Viçosa, Pau Brasil, Pirai do Norte, Porto Seguro, Potiraguá, Prado, Presidente Tancredo Neves, Santa Cruz Cabráiia, Santa Cruz da Vitória, Santa Luzia, São José da Vitória, Taperoá, Teolândia, Ubaíra, Ubaitaba, Ubatã, Una, Uruçuca, Valença, Wenceslau Guimarães.