.

IG – Região das Lagoas Mundaú-Manguaba

Atualmente o bordado filé é mais do que uma imagem de artefato popular, de um produto comercial: é um símbolo alagoano servindo como uma identidade territorial e de referência do talento de seu povo.

Este assunto é de responsabilidade da Unidade de Inovação. 19 de Julho de 2018


1 / 6

2 / 6

3 / 6

4 / 6

5 / 6

6 / 6


Trabalho em bordado filé ampliado.
 Sousplat em bordado filé.
 Porta guardanapo com detalhes em bordado filé.
 Bordado filé.
 Bordado filé em cores.
Marca visual.

Sobre a Indicação Geográfica


O nome filé vem do francês filet, que quer dizer rede e, de fato, é um bordado sobre uma rede de fios. Fios sobre fios que envolvem processos com complexidade de execução e muito aperfeiçoamento por meio desse longo tempo de repasses entre gerações, povos e países. Mesmo tendo quem vincule sua origem à antiga Pérsia, sua procedência também esteve ligada a certas áreas da Península Ibérica, nesses últimos séculos, sendo encontrado em localidades de Portugal e da Itália. Em seguida, aportou no Brasil colonial em que, possivelmente, esteve incluso na educação reformadora das escolas cristãs católicas que ensinavam prendas às mulheres.

Nesse território costeiro, a técnica cruzou com a herança da cultura material indígena, sua arte de tecer a palha e de construir instrumentos de pesca e outros utensílios com as fibras vegetais. Com o estabelecimento do ensino em escolas indígenas, objetivando uma educação civilizatória, muitos ofícios foram praticados,
especialmente entre as mulheres, o que incluiu as rendas e os bordados. Da mistura de gente e de suas técnicas de trabalho, formou-se, ao longo da história, a cultura do bordado filé, que se manteve e se desenvolveu até a forma como o conhecemos nos dias de hoje.


A região das Lagoas Mundaú e Manguaba é uma área de grande afluência turística e caracterizada por seu polo gastronômico, por seus balneários e pela atividade secular da pesca artesanal. É nesse local que o bordado filé estabeleceu uma verdadeira cadeia produtiva, envolvendo populações e comunidades.

Esse complexo estuarino é uma área de proteção ambiental e tradicionalmente foi povoado e habitado por populações pesqueiras e marisqueiras que dali retiram seu sustento, com a confecção do bordado tradicionalmente produzido na região como complemento de renda.


O filé é elaborado a partir de uma rede denominada malha, com espaçamento pequeno, que serve de suporte para a execução do bordado. O trabalho é realizado em duas etapas: a construção da rede e o preenchimento de pontos com a linha sobre a rede. Para sua execução são utilizados instrumentos artesanais: agulha em madeira e molde de bambu para tecer a malha, telas (bastidores) em madeira de diversos tamanhos para a esticagem da malha e, ainda, a confecção de goma de amido de milho para finalização dos produtos.

A variedade de pontos e a complexidade de execução destes entre si, além do intenso colorido, confere ao bordado desse território características singulares de outros executados com a mesma técnica. Mas é preciso empenho para a obtenção desses resultados.

Após a confecção da rede, ela é esticada em um tear de madeira e se inicia o bordado das linhas (monocromáticas ou com combinações de tons e cores diversas) que darão forma ao filé. Estas combinações são previamente projetadas pelas artesãs e marcadas na rede por meio de uma modelagem do produto. Matemática também é necessária, pois “a conta das casas” da malha tem que ser precisa e ritmada. Tudo é milimetricamente quantificado, definido e marcado.


Grande parte da comercialização e fama do bordado deve-se ao turismo na região das Lagoas, principalmente no trecho das ilhas e praias compreendidas entre Marechal Deodoro e Maceió, que são banhadas por esse complexo estuarino e que abrigam nos seus bairros, sítios e povoados lacustres grande parte da comunidade pesqueira na qual o bordado é produzido. Ações compartilhadas de desenvolvimento turístico contribuem para sua preservação e reconhecimento como Patrimônio Cultural Imaterial de Alagoas e o despontam no mercado de bens artesanais de grande expressão simbólica e viabilidade econômica.


Instituto Bordado Filé de Alagoas – INBORDAL
Endereço: Avenida Alipio Barbosa da Silva, 664 – Pontal da Barra | Cidade: Maceió/AL | CEP: 57.010-810
Telefone: +55 (82) 9 9130-3090 | Site: www.inbordal.org.br | E-mail: contato@inbordal.org.br


Dados Técnicos

Número: BR402014000012- 3
Indicação Geográfica: Região das Lagoas Mundaú Manguaba
UF: AL
Requerente: Instituto Bordado Filé da Região das Lagoas Mundaú Manguaba (Inbordal)
Produto: bordado filé
Data do Registro: 19/04/2016
Delimitação: Corresponde à área geográfica de 252 km², ao redor das Lagoas Mundaú e Manguaba, localizada na porção Centro- Leste do estado de Alagoas, compreendendo parte dos territórios dos municípios de Marechal Deodoro, Pilar, Santa Luzia do Norte, Coqueiro Seco, Satuba e Maceió.