.

IG – Cruzeiro do Sul

A qualidade da farinha de Cruzeiro do Sul é fruto de um saber fazer passado por gerações, uma produção artesanal e familiar. Tudo isso confere à farinha sabor, aroma, coloração e consistência que é reconhecida e apreciada há anos.

Este assunto é de responsabilidade da Unidade de Inovação. 9 de Agosto de 2018


1 / 6

2 / 6

3 / 6

4 / 6

5 / 6

6 / 6


Mandioca da Indicação Geográfica.
 Produção da farinha de mandioca.
 Farinha de mandioca da Central Juruá.
Mandioca descascada.
Farinha de mandioca.
 Marca visual.

Sobre a Indicação Geográfica


A mandioca é originária da região amazônica, sendo cultivada na América Tropical há mais de 5000 anos. Já a produção de farinha foi introduzida na região por famílias de imigrantes nordestinos, no início do século XX. Tem-se registro da criação da Associação Agrícola do Juruá, que reuniu produtores rurais, como os que produziam farinha de mandioca em Cruzeiro do Sul.

A migração para o Acre foi marcada por pessoas que atuaram como seringueiros, aproveitando do ciclo da borracha. Com a queda do preço da borracha e visando preservar as terras, foram desenvolvidas e consolidadas outras culturas na região, como a da farinha de mandioca.

Atualmente, no estado do Acre, a farinha de mandioca é processada de forma artesanal, utilizando matéria-prima e mão-de-obra provenientes da agricultura familiar. A qualidade da farinha e a segurança do alimento são destaques, fruto do trabalho dos produtores juntamente com as entidades de apoio.


A área delimitada da Indicação de Procedência abrange os municípios de Mâncio Lima, Rodrigues Alves, Cruzeiro do Sul, Porto Walter e Marechal Thaumaturgo, o que corresponde à área do Vale do Juruá. Essa região se localiza na fronteira com o Peru, no extremo oeste do estado do Acre, e consiste em um dos Territórios da Cidadania.

Em 2009, foi feito um mapeamento com georreferenciamento da produção de farinha na região do Vale do Juruá. Das 904 casas de farinha identificadas, aproximadamente metade se localizam no município de Cruzeiro do Sul.


Um dos principais produtos desidratados da mandioca é a farinha. O processo de fabricação da farinha de mandioca na região é caracterizado por ser uma atividade familiar e comunitária e por ser uma herança, passada de pais para filhos.

A farinha de mandioca da região é reconhecida pela sua qualidade, crocância, granulometria uniforme, torra e pelo sabor inconfundível. Podem utilizar o selo da Indicação Geográfica Cruzeiro do Sul a farinha elaborada a partir da mandioca das seguintes cultivares: Branquinha, Caboquinha, Mansa-e-Brava, Cumaru, Curimêm, Chico Anjo e Mulatinha, além de utilizar no processamento da farinha no mínimo 95% de mandioca produzida na área delimitada.


Ao longo dos anos, foi se consolidando na região uma governança de instituições de apoio que auxiliam os produtores no processo de melhoria contínua do processo produtivo e no resgate histórico e consolidação do saber fazer desse produto diferenciado.



Central das Cooperativas dos Produtores Familiares do Vale do Juruá – CENTRAL JURUÁ
Endereço: Rua Rego Barros, nº 37 – Centro | Cidade: Cruzeiro do Sul/AC
Telefone: +55 (68) 3322-6534 | E-mail: centraljuruaczs@gmail.com


Dados Técnicos

Número: BR402015000001-0
Indicação Geográfica: Cruzeiro do Sul
UF: Acre
Requerente: Central das Cooperativas dos Produtores Familiares do Vale do Juruá – CENTRAL JURUÁ
Produto: Farinha de mandioca
Data do Registro: 22/08/2017
Delimitação: A área geográfica delimitada para a indicação de procedência “Cruzeiro do Sul” é coincidente com a área da Regional Juruá, estando localizada na Região Oeste do Estado do Acre, abrangendo os municípios de Mâncio Lima, Rodrigues Alves, Cruzeiro do Sul, Porto Walter e Marechal Thaumaturgo.