.

IG – Alta Mogiana

As mudas cultivadas de café em altitudes privilegiadas, aliadas ao uso de uma tecnologia de pós-colheita, são ingredientes que enriquecem o sabor e aroma com corpo e buquet próprios. A qualidade dos grãos, determinada pelos fatores geográficos, faz deste café um dos melhores do mundo.

Este assunto é de responsabilidade da Unidade de Inovação.17 de Julho de 2018


1 / 6

2 / 6

3 / 6

4 / 6

5 / 6

6 / 6


Sementes de café.
 Sementes de café.
 Muda de café.
 Motorista de trator.
 Plantação de café.
 Marca visual da Indicação Geográfica.

Sobre a Indicação Geográfica


É de longa data que se encontra registro sobre o plantio de café na região. A região da Alta Mogiana é associada ao café há mais de 100 anos. O Código de Postura da Câmara Municipal de Franca, de 1833, obrigada os agricultores a plantar e manter 25 pés de café por cada braça de terreno, sob multa de $2.000, ou um dia de detenção.

No entanto, foi com a chegada da ferrovia, e a inauguração da Estação de Franca, na década de 1890, que a cafeicultura se consolida como principal atividade econômica. A presença de imigrantes, nesta mesma época, era cada vez mais constante.

O aumento da população de imigrantes, principalmente italianos, era acompanhado por uma explosão da produção de café. A cultura cafeeira era privilégio dos maiores proprietários da terra. A parceria entre os proprietários e os imigrantes mostrou-se rentável a ambos. Desde então, a região sempre fora um pólo qualitativo de café.


Alta Mogiana está localizada ao norte do estado de São Paulo. Um planalto com serras suaves, com altitudes de 900 a 1000 metros. é uma região tradicional no plantio de café, que apresenta temperaturas médias mensais de 21ºC no verão, e 17ºC no inverno, com precipitação anual em torno de 1.623 mm sendo caracterizada como estação chuvosa o período de Outubro a Abril.

As características climáticas descritas são propícias para o amadurecimento lento e uniforme do grão. A colheita seletiva é feita no pico do amadurecimento do grão, de forma a obter um número maior do grão do café. A secagem ao sol em camadas finas, controlada por mão de obra qualificada, é contemplada em modernos secadores mecânicos, com precioso controle de temperatura.


A região de Alta Mogiana produz café da espécie arábica e de grãos mais finos, conhecidos como “café de bebida mole”. Dentre as variedades mais cultivadas encontramos o catuaí, mundo novo, bourbon e obatã.

O café tem como principal característica um corpo cremoso aveludade. Possui um aroma marcante, frutado com suaves notas de chocolate e nozes, de acidez média e equilibrada. Assim que degustado, tem a magnitude de prolongado retrogosto com uma doçura de caramelo com notas de chocolate amargo. Trata-se de um café encorpado, talhado para o preparo de um excelente expresso.


A Associação dos Produtores de Cafés Especiais da Alta Mogiana tem como objetivo o reconhecimento da região, a congregação de pessoas e empresas atuantes no mercado de cafés especiais, incluindo a produção, beneficiamento, comercialização, industrialização e distribuição. Ela orienta, organiza, fomenta re regula a cafeicultura da região, desempenhando um importante papel institucional para a propagação do café especial da região Alta Mogiana, tanto no mercado interno como no externo.


Associação dos Produtores de Cafés Especiais da Alta Mogiana – AMSC
Endereço: Rua Diogo Feijó, 1915 | Bairro: Estação | Cidade: Franca/SP | CEP: 14.405-2012
Telefone: +55 (16) 3017-0705 | Site: www.amsc.com.br | E-mail: altamogiana@amsc.com.br


Dados Técnicos

Número: IG200703
Indicação Geográfica: Alta Mogiana
UF: São Paulo
Requerente: Associação dos Produtores de Cafés Especiais da Alta Mogiana
Produto: Café
Data do Registro: 17/09/2013
Delimitação: A região delimitada de Alta Mogiana engloba os municípios de: Altinópolis; Batatais; Buritizal; Cajuru; Cristais Paulista; Franca; Itirapina; Jeriquara; Nuporanga; Patrocínio Paulista; Pedregulho; Restinga; Ribeirão Corrente; Santo Antônio da Alegria e São José da Bela Vista.