Emprego

A geração de emprego é uma medida importante para monitorar o crescimento econômico. Neste assunto serão apresentadas análises relacionadas a salário, emprego e formalização da economia.

Assunto disponibilizado pela Unidade de Gestão Estratégica do Sebrae Nacional


Índice

Qual é o tamanho da força de trabalho no Brasil?
Qual é a quantidade de pessoas ocupadas?
Qual é a quantidade de pessoas desocupadas?
Qual é a quantidade de trabalhadores empregados com carteira assinada?
Qual é a quantidade de trabalhadores empregados sem carteira assinada?
Quantos são os empreendedores com negócio?
Como tem evoluído a taxa de desemprego no Brasil?
Quais são os estados mais atingidos pelo desemprego?
Quais são as faixas de idade mais afetadas pelo desemprego?
Como tem evoluído a geração mensal de empregos formais?

Emprego nas MPE
Como tem evoluído a geração de empregos formais pelas MPE?
Qual foi o saldo mensal de empregos gerados pelas MPE?
Qual foi o saldo acumulado de empregos gerados pelas MPE?
Quais foram os saldos de empregos gerados pelas MPE nos últimos 13 meses?
Quais foram os saldos de empregos gerados pelas MPE por setor econômico?
Quais foram os saldos de empregos gerados pelas MPE por UF?

Referências


Qual é o tamanho da força de trabalho no Brasil?

No 3º trimestre encerrado de 2018, 105,1 milhões de pessoas faziam parte da força de trabalho, ou seja, estavam ocupadas ou desocupadas. Esse contingente representa 61,7% das pessoas em idade de trabalhar (14 anos ou mais).[1]

Qual é a quantidade de pessoas ocupadas?

No 3º trimestre de 2018, o número de pessoas ocupadas atingiu 92,6 milhões. Isso representa o acréscimo de 1,3 milhão de ocupados em relação ao mesmo período de 2017. [1]

Qual é a quantidade de pessoas desocupadas?

No 3º trimestre de 2018, o mercado de trabalho contabilizou 12,5 milhões de desempregados, 469 desocupados a menos em relação ao 3º trimestre de 2017.[1]

Qual é a quantidade de trabalhadores empregados com carteira assinada?

O número de trabalhadores empregados no setor privado com carteira de trabalho assinada continua em níveis baixos.[1] No 3º trimestre de 2018 havia 33,0 milhões de trabalhadores do setor privado registrados com carteira assinada.

Qual é a quantidade de trabalhadores empregados sem carteira assinada?

O número de trabalhadores empregados no setor privado sem carteira assinada chegou a 11,5 milhões no 3º trimestre de 2018. [1]

Quantos são os empreendedores com negócio?

O volume de empreendedores com negócio (empregadores ou conta própria) atingiu 27,9 milhões no 3º trimestre encerrado de 2018. [1]

Como tem evoluído a taxa de desemprego no Brasil?

A taxa de desemprego ficou em 11,9% no 3º trimestre de 2018. No mesmo período de 2017, ela estava em 12,4% [1].

Quais são os estados mais atingidos pela taxa de desemprego?

Segundo o recorte estadual dos dados do 3º trimestre de 2018, as maiores taxas de desemprego foram registradas no Amapá (18,3%), Sergipe (17,5%) e Alagoas (17,1%). Os estados que
apresentaram menores taxas de desemprego foram Santa Catarina (6,2%), Mato Grosso (6,7%) e Mato Grosso do Sul (7,2%). [1].

Quais são as faixas de idade mais afetadas pelo desemprego?

Entre os jovens de 18 a 24 anos, a taxa de desemprego fechou o 3º trimestre de 2018 em 25,8%. Esse valor equivale a mais que o dobro da taxa geral de desemprego para o período (11,9%).[1].

Como tem evoluído a geração mensal de empregos formais?

O Brasil teve saldo positivo de geração de empregos em novembro de 2018. [2]. O saldo líquido de empregos (admissões menos desligamentos) no mês foi de 58,7 mil vagas.

Como tem evoluído a geração de empregos formais pelas MPE?

As MPE apresentaram saldo positivo de empregos gerados no ano 2018 (criação líquida de 728,7 mil postos de trabalho até novembro de 2018). [2]. Esse resultado é seis vezes maior que o saldo registrado pelas médias e grandes empresas no mesmo período (116,7 mil postos) e 41% superior ao desempenho das MPE no mesmo período do ano anterior.

Qual foi o saldo mensal de empregos gerados pelas MPE? 

Em novembro de 2018, pelo décimo primeiro mês consecutivo, os pequenos negócios registraram saldo positivo de empregos, sendo responsáveis pela geração de 69 mil empregos formais
celetistas no país, enquanto o saldo apresentado pelas Médias e Grandes Empresas (MGE) foi negativo (-9,2 mil empregos), ou seja, mais demitiram do que contrataram.
[2]

Qual foi o saldo acumulado de empregos gerados pelas MPE?

De janeiro a novembro de 2018, os pequenos negócios acumularam um saldo de 728,7 mil empregos gerados, seis vezes maior que o saldo registrado pelas Médias e Grandes Empresas e 41,4% acima do computado por eles no mesmo período do ano passado. [2]

Quais foram os saldos de empregos gerados pelas MPE nos últimos 13 meses?

O saldo de empregos gerados pelas MPE em novembro de 2018 foi o maior dos últimos quatro anos, ficando abaixo apenas do saldo registrado em novembro de 2014. Superou ainda em 1,2% o registrado no mês anterior e foi três vezes e meia maior do que o verificado no mesmo mês do ano passado. [2].

Quais foram os saldos de empregos gerados pelas MPE por setor econômico?

No acumulado de janeiro a novembro deste ano, entretanto, foram as MPE do setor de Serviços que puxaram a geração de empregos no país, respondendo por mais de 405 mil novos postos de
trabalho, 55,6% do total de empregos gerados pelas MPE neste ano. Em segundo lugar, ficaram os pequenos negócios da Construção Civil com a criação de 96,4 mil novas vagas de trabalho.
[2]

Quais foram os saldos de empregos gerados pelas MPE por UF?

As micro e pequenas empresas do estado de São Paulo puxaram a geração de empregos no acumulado até novembro de 2018, criando quase 190 mil postos de trabalho. Todas as regiões do país registraram saldos positivos de empregos gerados no período, destacando-se a região Sudeste (335,5 mil empregos) e a região Sul (122,7 mil empregos). [2]

Relatórios completos

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua – PnadC/IBGE.
Cadastro Geral de Empregados e Desempregados – CAGED/MTB.

Referências

[1] Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua – PnadC/IBGE.
[2] Cadastro Geral de Empregados e Desempregados – CAGED/MTB.