Produção industrial

A produção industrial representa a transformação de matéria-prima em produtos comercializáveis. Seu acompanhamento permite avaliar e comparar o desempenho do setor de indústria e, por conseguinte, da economia do país. Assim, para acompanhar a produção industrial, pode ser utilizada a Pesquisa Industrial Mensal de Produção Física (PIM-PF) [1], que é realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Ela apresenta o comportamento do produto real das indústrias extrativa e de transformação.

Assunto disponibilizado pela Unidade de Atendimento Setorial – Indústria


Índice

Qual foi a produção da indústria nos últimos meses?
Qual foi a variação da produção industrial dos estados nos últimos meses?
Qual foi a variação da produção em cada atividade industrial nos últimos meses?

Documentos
Referências


Qual foi a produção da indústria nos últimos meses?

De acordo com a Pesquisa Industrial Mensal – Produção Física (PIM-PF), a produção física industrial aumentou 0,2% entre agosto e setembro de 2017. Na comparação entre setembro de 2017 e setembro de 2016, houve um aumento de 2,6%. A taxa acumulada nos últimos 12 meses é de 0,4%. A pesquisa foi divulgada no dia 1º de novembro de 2017.

Fonte: IBGE

Qual foi a variação da produção industrial dos estados nos últimos meses?

No contexto regional, 7 dos 13 estados pesquisados apresentaram variação positiva em agosto. Os destaques positivos foram Espírito Santo (7,5%) e Bahia (4,9%). Por outro lado, as maiores quedas no mês foram em São Paulo e no Rio Grande do Sul, ambas com variação de -1,4%.

Fonte: IBGE

Qual foi a variação da produção em cada atividade industrial nos últimos meses?

Dentre as 25 atividades industriais pesquisadas, 15 acumulam uma variação positiva nos últimos 12 meses. As maiores taxas de variação são das atividades de  “Fabricação de veículos automotores, reboques e carrocerias” (12,7%), “Fabricação de produtos do fumo” (11,8%) e “Fabricação de produtos têxteis” (5,0%). Já os resultados que acumularam as maiores quedas neste comparativo foram nas atividades de “Fabricação de outros equipamentos de transporte, exceto veículos automotores” (-15,3%), “Impressão e reprodução de gravações” (-10,4%) e “Fabricação de produtos farmoquímicos e farmacêuticos” (-9,0%).

Fonte: IBGE

Documentos

Pesquisa Industrial Mensal de Produção Física (PIM/PF). IBGE, 2017. Nomenclatura completa dos produtos selecionados na PIM/PF.

Referências

[1] Pesquisa Industrial Mensal de Produção Física (PIM/PF). IBGE, 2017.

Programas Sociais

Programas sociais são iniciativas destinadas a melhorar as condições de vida de uma população. Nesse assunto, serão apresentados dados e informações sobre algumas iniciativas do governo voltadas à população de baixa renda do Brasil.

Assunto disponibilizado pela Unidade de Gestão Estratégica do Sebrae Nacional


Índice

CadÚnico
O que é o CadÚnico?
Para que serve o CadÚnico?
Quem pode se inscrever no CadÚnico?
Quantas famílias de baixa renda estão inscritas no CadÚnico?
Quais são os estados com o maior número de famílias inscritas no CadÚnico?

Bolsa Família
O que é o Bolsa Família?
Quantas famílias beneficiárias do Bolsa Família existem no Brasil?
Quais são os estados com maior número de famílias beneficiárias do Bolsa Família?
Quantos MEI beneficiários do Bolsa Família existem no Brasil?
Há uma concentração maior de famílias beneficiárias do Bolsa Família em municípios de baixo IDH?

Referências


CadÚnico

O que é o CadÚnico?

O cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) é um instrumento que identifica e caracteriza as famílias de baixa renda. Nele, são registradas informações como: características da residência, identificação de cada pessoa, escolaridade, situação de trabalho e renda, entre outras.[1]

Para que serve o CadÚnico?

O Cadastro Único é o principal instrumento do Estado brasileiro para a seleção e a inclusão de famílias de baixa renda em programas federais, sendo usado obrigatoriamente para a concessão dos benefícios do Programa Bolsa Família, da Tarifa Social de Energia Elétrica, do Programa Minha Casa Minha Vida, da Bolsa Verde, entre outros. Também pode ser utilizado para a seleção de beneficiários de programas ofertados pelos governos estaduais e municipais. Por isso, ele funciona como uma porta de entrada para as famílias acessarem diversas políticas públicas.[2]

Quem pode se inscrever no CadÚnico?

Podem se inscrever no CadÚnico, famílias com renda mensal de até meio salário mínimo por pessoa. As famílias com renda superior a esse critério poderão ser incluídas no CadÚnico, desde que sua inclusão esteja vinculada à seleção ou ao acompanhamento de programas sociais implementados pela União, estados ou municípios.[1]

Quantas famílias de baixa renda estão no CadÚnico?

De acordo com dados do Ministério do Desenvolvimento Social, o ano de 2016 terminou com 26,7 milhões de famílias de baixa renda inscritas no Cadastro Único.
O gráfico, abaixo, apresenta a série histórica com dados de 2010 a 2016. Por meio dele, é possível observar que, em quatro anos (2010-2014), aproximadamente 9 milhões de famílias com renda familiar per capita de até meio salário mínimo entraram para o Cadastro. Nos anos seguintes, no entanto, esse número passou a cair. Entre 2014 e 2016, houve queda de 7% (2,1 milhões) no total de famílias inscritas no CadÚnico.[3]

Fonte: DataSebrae

Quais são os estados com maior número de famílias inscritas no CadÚnico?

Os estados com maior número de famílias de baixa renda inscritas no Cadastro Único do governo federal são: São Paulo, Bahia e Minas Gerais. Eles fecharam o ano de 2016 com 3,6; 3 e 2,5 milhões de famílias inscritas, respectivamente.[3]
Por região, é possível observar no mapa, abaixo, que a Nordeste e a Sudeste possuem a maior concentração de famílias inscritas no CadÚnico.

Fonte: DataSebrae


Bolsa Família

O que é o Bolsa Família?

O Bolsa Família é um programa de transferência de renda do Governo Federal, criado em outubro de 2003, para auxiliar as famílias em situação de pobreza e de extrema pobreza.
O Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) é o responsável pelo Programa e a Caixa Econômica Federal é o agente que executa os pagamentos. No entanto, a gestão do Bolsa Família é descentralizada, ou seja, tanto a União, quantos os estados e o Distrito Federal e os municípios têm atribuições em sua execução.[2]

Quantas famílias beneficiárias do Bolsa Família existem no Brasil?

Segundo dados do Ministério do Desenvolvimento Social, em 2016, havia, no Brasil, 13,4 milhões de famílias beneficiárias do programa Bolsa Família. Isso significa que metade das famílias inscritas no Cadastro Único recebem esse benefício.
Analisando-se a série histórica apresentada no gráfico abaixo, observa-se que, nos últimos anos, o número total de famílias beneficiárias do Bolsa Família vem caindo. Entre 2013 e 2016, a redução foi de aproximadamente 4%.[3]

Fonte: DataSebrae

Quais são os estados com maior número de famílias beneficiárias do Bolsa Família?

Bahia, São Paulo e Minas Gerais lideram o ranking dos estados brasileiros com o maior número de famílias que recebem o benefício. Em 2016, eles fecharam o ano com 1,7; 1,4 e 1 milhão de famílias beneficiárias do Programa, respectivamente.[3]

Fonte: DataSebrae

Quantos MEI beneficiários do Bolsa Família existem no Brasil?

Em 2014, existiam no Brasil, cerca de 521 mil beneficiários do programa Bolsa Família que se formalizaram como Microempreendedores Individuais.[3] Ao contrário do que muitos imaginam, o beneficiário do Programa pode se formalizar como MEI. Nesse caso, ele só deixará de receber o benefício se a renda mensal por membro da família ultrapassar o teto do Programa (Até meio salário mínimo).[4]
De acordo com a série histórica apresentada no gráfico abaixo, observa-se que o número de MEIs Bolsa Família aumentou de forma considerável entre 2012 e 2014.

Fontes: DataSebrae

 

Há uma concentração maior de famílias beneficiárias do Bolsa Família em municípios de baixo IDH?

De forma geral, municípios com baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) possuem um número maior de famílias beneficiárias do Bolsa Família. Comparando-se os mapas de intensidade, abaixo, é possível observar que as regiões mais escuras (maior concentração de beneficiários do Programa) coincidem com as regiões mais avermelhadas (Menor IDH).[3]

Fonte: DataSebrae

Fonte: DataSebrae

 

Referências

[1] Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
[2] Ministério do Desenvolvimento Social (MDS).
[3] DataSebrae.
[4] Portal do Desenvolvimento Local.

Artesanato

Neste assunto são apresentados os dados do artesanato brasileiro com informações que vão desde o perfil demográfico dos artesãos até os seus canais de venda, passando por principais dificuldades enfrentadas e percepção sobre os próprios produtos. Também é apresentado um breve perfil dos consumidores desse mercado.

Leia Mais...